This free script provided by
JavaScript Kit

sábado, 28 de agosto de 2010

Aniversário da filhota...

Todo ano, faço uma grande festa para a minha princesa. Esse ano, apesar dos contratempos, não vai ser diferente. Ela é a razão da minha vida, então quero comemorar com estilo! Não é apenas celebrar o melhor presente que já recebi em toda minha vida, mas também um evento que nós duas curtimos muito! Ela gosta da escolha do tema, das preparações, de estar no salão quando minha mãe e eu estamos enfeitando... E eu aproveito para chamar meus amigos e matar as saudades que sinto deles. No dia-a-dia, estou sempre postergando os telefonemas, os posts nos perfis deles, as visitas... Então uma festa vira a desculpa perfeita para vê-los todos de uma vez.
No primeiro ano, diz a tradição que dá boa sorte usar o tema de palhaços, porque dá sorte para a criança pelo resto de sua vida... O que mais poderíamos querer para a minha pipoca?
Mas por ser tão especial, seus palhacinhos não deveriam ser como os de todas as outras crianças. Ah, não!
Então por que não incrementar essa boa sorte com uma pitada de criatividade? Daí saíram os pagliaci da Commedia dell'Arte, do teatro das ruas, que deu origem ao teatro tradicional e ao circo.
Relembrar as estórias de personagens como o Pierrô, a Colombina, o Arlequim, a bela nobre da janela e seu amado...
Desejei do fundo de minha alma temperar o voto de boa sorte para a minha princesa com o romantismo e as lições de vida, a alegria e a magia desses palhaços que começaram suas trajetórias pelas ruas de Veneza e depois ganharam o mundo, encantando a todos.
E então,  a festinha ficou mais ou menos assim:

Essa foi a mesa do bolo. O painel foi pintado por uma pessoa cujo trabalho gosto muito, é uma verdadeira artista, muito caprichosa. Dei à ela um esboço de uma foto de um beco de Veneza junto com os personagens que desenvolvi. Ela então deu as cores e o acabamento esmerado.

Aí estão alguns deles: a Colombina, o Arlequim, o Polichinelo, o comerciante, o gondoleiro...

Como lembrancinha, fizemos palhaços de fuxico e de pano. Para fugir daquele horrendo saquinho de guloseimas...

... E aí está o bolo, com o único palhacinho que fizemos em porcelana! Esse, ficou de lembrança pra gente.
Essa primeira festa foi uma experiência muito legal... Nos anos seguintes, quis fazer ainda mais coisas. Além de ser uma forma de reunir os amigos, celebrar a vida, etc... vicia!

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Artesanato para minha princesa

Amo artesanato. Para enfeitar a porta do quarto da maternidade, quando minha filha nasceu, fiz esse enfeite que acende, exclusivissimo. Foi um grande prazer tanto executar quanto ver o resultado.

Aqui, o enfeite apagado:

E aqui, ele aceso:

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Biscoitos caseiros...

Adoro me enfiar na cozinha para fazer bolos, pães, biscoitos e outras coisas com farinha de trigo. Esse ingrediente é mágico!


Desde que minha filha se encantou pela Alice no País das Maravilhas, desatei a fazer biscoitos em casa. E, realmente, essas guloseimas caseiras são bem mais saborosas que as compradas. Sem contar que ficam mais nutritivas, menos calóricas e não têm conservantes e outros aditivos. Só me permito adicionar umas gotinhas de corante na cobertura dos biscoitos, para dar uma graça e um pouquinho de essência de baunilha, porque ninguém é de ferro...


Esses aqui, fiz para o aniversário da minha afilhada, que escolheu o mesmo tema. A receita, traduzi de um blog norte-americano, fico devendo o link.

Mas a receita está aqui!

Glacê real
Ingredientes:
  • 5 xícaras de açúcar de confeiteiro peneiradas
  • 1/4 de xícara de leite (experimentar substituir uma parte por suco de limão)
  • 1/4 de xícara de glicose de milho (tipo Karo)
Rendimento: 3 xícaras de cobertura

Instruções:
Coloque o açúcar e o leite em uma tigela. Mexa até obter uma mistura homogênea. Adicione a glicose de milho e misture bem. Para preencher áreas de desenhos, afine a cobertura adicionando pequenas quantidades de glicose de milho até atingir a consistência adequada.


 Para colocar sobre o biscoito, o ideal é usar o saco de confeiteiro, que tem a firmeza certa para apertar e principalmente para cortar o buraco na ponta, que deve ser pequeno...

Biscoitos doces

 Ingredientes:
  • 2 xícaras de farinha
  • 1/4 de colher de chá de sal
  • 1/2 de colher de chá de fermento
  • 1/2 xícara de manteiga sem sal
  • 1 xícara de açúcar
  • 1 ovo grande, levemente batido
  • 2 colheres de sopa de brandy ou leite
  • 1/2 colher de chá de extrato de baunilha (ou menos, dependendo da essência)
Rendimento: 2 dúzias, cortadas com cortador grande

Preparo:

 Misture a farinha, sal e fermento numa tigela media. Na batedeira, bata manteiga e açúcar até obter um creme; adicione os ingredientes secos e misture até incorporar. Com a batedeira ligada, adicione o ovo batido, o brandy ou leite e a essência; misture até incorporar.

 Transfira a massa para a superfície de trabalho. Na receita original, pede-se para dividir em dois discos, cobrir com plástico e refrigerar por uma hora, mas cortei logo os biscoitos e ficaram perfeitos, sem refrigerar.
Preaqueça o forno em 180º C. Cubra as formas com papel manteiga e deixe à mão.

Numa superfície enfarinhada, estique a massa até ficar com ½ centímetro de espessura. Corte as formas desejadas e transfira para as formas, deixando 2 centímetros entre elas. Segundo a receita original, a massa que sobra pode ser amassada novamente e cortada mais uma vez. Amassei três vezes e todos os biscoitos foram igualmente devorados. Deixe assar até ficarem levemente dourados, por aproximadamente 10 minutos; não deixe ficar moreno. Transfira para um aramado para esfriar.

Esse biscoito sai muito mole do forno, daí a importância do papel manteiga: ele ajuda muito na transferência dos biscoitos para o aramado.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Filtro Solar

Não sou muito chegada a posts repetitivos, mas minha alma hoje pede pra colocar esse texto. Ele andava rondando minha cabeça por muitos dias, e ultimamente tenho visto coisas que me fazem perceber quanta verdade tem nesse texto aparentemente bobo. Só sabe quem vive ou observa de perto uma história triste.

Amigos...


Usem filtro solar.

Se eu pudesse dar um conselho em relação ao futuro, diria: Usem filtro solar. Os benefícios, a longo prazo, do uso do filtro solar foram cientificamente provados.

Os demais conselhos que dou baseiam-se unicamente em minha própria experiência:

Desfrute do poder da beleza de sua juventude. Oh, esqueça. Você só vai compreender o poder da beleza de sua juventude quando já estiver muito velho.

Mas, acredite em mim. Dentro de vinte anos, você olhará suas fotos e compreenderá, de um jeito que não pode compreender agora, quantas oportunidades se abriram para você e que eram realmente fabulosas.

Você não é tão gordo quanto você imagina. Não se preocupe com o futuro. Ou se preocupe, se quiser, sabendo que a preocupação é tão eficaz quanto tentar resolver uma equação de álgebra mascando chiclete. É quase certo que os problemas que realmente têm importância em sua vida são aqueles que nunca passaram por sua mente, tipo aqueles que tomam conta de você às 4 da tarde em alguma terça-feira ociosa.

Todos os dias, faça alguma coisa que seja assustadora. Cante. Não trate os sentimentos alheios de forma irresponsável. Não tolere aqueles que agem de forma irresponsável em relação a você.

Relaxe. Não perca tempo com a inveja. Algumas vezes você ganha, algumas vezes perde. A corrida é longa e, no final, tem que contar só com você. Lembre-se dos elogios que recebe e esqueça os insultos (Se conseguir fazer isso, me diga como).

Guarde suas cartas de amor e jogue fora seus velhos extratos bancários. Estique-se. Não tenha sentimento de culpa se não souber muito bem o que quer da vida. As pessoas mais interessantes que eu conheço não tinham, aos 22 anos, nenhuma idéia do que fariam na vida. Algumas das pessoas interessantes de 40 anos que conheço ainda não sabem.

Tome bastante cálcio e seja gentil com seus joelhos. Você sentirá falta deles quando não funcionarem mais. Talvez você se case, talvez não. Talvez tenha filhos, talvez não. Talvez se divorcie aos 40, talvez dance uma valsinha quando fizer 75 anos de casamento. O que quer que faça, não se orgulhe nem se critique demais. Todas as suas escolhas tem 50% de chances de dar certo, como também tem as escolhas de todos os demais.

Curta seu corpo da maneira que puder. Não tenha medo dele ou do que as pessoas pensem dele. Ele é seu maior instrumento. Dance, mesmo que o único lugar que você tenha para dançar seja sua sala de estar. Leia todas as indicações, mesmo que você não as siga. Não leia revistas de beleza. A única coisa que elas fazem é mostrar você como uma pessoa feia. Saiba entender seus pais. Você nunca sabe quando vai sentir a falta deles.

Seja agradável com seus irmãos. Eles são seu melhor vínculo com seu passado e aqueles que, no futuro, provavelmente não deixarão você na mão.

Entenda que amigos vêm e vão, mas há um punhado deles, preciosos, que você tem que guardar com carinho.

Trabalhe duro para transpor os obstáculos geográficos e da vida, porque quanto mais você envelhece, tanto mais precisa das pessoas que conheceram você na juventude.

More em uma grande cidade uma vez na vida, mas mude-se antes que a cidade transforme você em uma pessoa dura. More em uma cidade do interior, mas mude-se antes de tornar-se uma pessoa muito mole.

Viaje. Aceite certas verdades eternas: Os preços vão subir, políticos são todos mulherengos e você também vai envelhecer. E quando envelhecer, vai fantasiar que, quando você era jovem, os preços eram acessíveis, os políticos eram nobres de alma e as crianças respeitavam os mais velhos. Respeite as pessoas mais velhas. Não espere apoio de ninguém. Talvez você tenha uma aposentadoria. Talvez tenha um cônjuge rico. Mas você nunca sabe quando um ou o outro podem desaparecer. Não mexa muito em seu cabelo. Senão, quando tiver quarenta anos, vai ficar com a aparência de oitenta e cinco. Tenha cuidado com as pessoas que lhe dão conselhos, mas seja paciente com elas. Conselho é uma forma de nostalgia. Dar conselho é uma forma de resgatar o passado da lata de lixo, limpá-lo, esconder as partes feias, e reciclá-lo por um preço maior do que realmente vale. Mas, acredite em mim quando eu falo do filtro solar.
 
E se for útil pra alguém... http://www.hci.utah.edu/, melanoma

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Quem é que sabe que planta é essa?

Andando na rua, senti um delicioso perfume que vinha desta arvoreta. O cheiro lembra o jasmim.



As flores são brancas, pequenas, com muitas pétalas. Tive a sorte de ainda flagrar um fruto.


Dessa aqui, ainda não pesquisei nada, talvez nem seja difícil achar seu nome. Vamos ver o que encontro nessa semana...

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Mais uma planta, mas não tão misteriosa

Essa daqui mora no Centro do Rio de Janeiro, perto da Cinelândia. Ela forma uma touceira muito bonita. Os pés que vi deveriam já ter uma certa idade, pois tinham os troncos grossos para o porte da planta, lenhosos. Estavam indo bem, na sombra.


Bastou uma busca por "planta-camarão" e já encontrei a Eranthemum pulchellum, também conhecida (não por mim) como camarão azul. Parece que se trata de uma planta asiática. Não reparei se existe fácil pra vender.

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Quando o Hatch fica horrível...

Quem trabalha com desenho técnico sabe como os preenchimentos de figuras com texturas são importantes para auxiliar na representação gráfica. No Autocad, um dos programas mais usados para fazer CADD (computer aided design and drafting - plantas de edificações, desenhos de peças, etc.), esses preenchimentos são os hatches. E quando eles não funcionam direito, dá uma raiva...

Foi o que aconteceu comigo, ontem. Então, lá fui eu pesquisar nos fóruns de Atocad para ver como transformar isso que aparece no lado esquerdo da figura, no que aparece do lado direito:


Um problema comum no Autocad é o hatch aparecer como se estivesse explodido, com as linhas desencontradas. Isso acontece quando o preenchimento é mais complexo, como o gravel, wood, concrete, etc. À medida que vai se afastando da origem do desenho (0,0), ele vai ficando "bagunçado", mas não sei exatamente por quê. Quem lida com desenhos georreferenciados não pode mudar a origem do desenho (trocar origem do UCS), o que também resolveria.
Pelo menos, tem outra forma de consertar. A textura volta a parecer normal se você a editar perto da origem e depois movê-la para o lugar desejado.

Assim:
1 - Selecione o hatch "explodido";
2 - invoque o comando MOVE (M+enter);
3 - marque um ponto de referência próximo ao hatch com defeito;
4 - digite 0,0 (sem @) como local de destino.
5 - Clique duas vezes no hatch ou escreva HE (+enter) para invocar o comando Hatch Edit;
6 - não precisa fazer nada nessa janela, apenas dê OK para fechar.
7 - Se o seu hatch ainda não voltou ao normal, regenere o desenho (RE+enter).

Se esse procedimento não funcionou, copie o contorno onde quer colocar o preenchimento e cole em um documento em branco, aplique o hatch e depois copie o preenchimento para o desenho original.

Se ainda não der certo, aí a coisa complica :-) ... Crie um bloco com o hatch no outro documento e então insira no desenho original. E aí acabam as minhas sugestões :-P

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Árvore misteriosa

Ando fazendo uns projetos que envolvem paisagismo. Estou gostando muito! Tanto minha curiosidade pelas plantas anda bastante atiçada.


Certo dia estava andando na rua e vi esta árvore aqui:


Achei-a interessante e quero identificá-la, mas estou com uma certa dificuldade.

Observando as folhas, flores, tronco, achei que podia ser parente do Abricó de Macaco (Couroupita guianensis), mas pesquisei todos os gêneros da família dela (lecythidaceae) e nada. Será que alguém tem uma pista?

Começou a florescer no fim de julho, tem essas flores vermelhas e grandes, de pétalas grossas. O tronco é espinhoso, as folhas são lisas e praticamente somem na florada. Ainda não reparei como são os frutos, talvez me dêem uma pista. Mas quanto tempo vai demorar par que apareçam?

Vou continuar procurando...

Aqui está a flor:

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Ração humana

Descobri que ração humana pode ser um ótimo condicionador de massa para pão. Bastam duas colheres de sopa para cada xícara de farinha. Como eu uso máquina de pão (a minha é uma Multipane da Britania), preencho o fundo do copo-medida com a ração e completo com farinha, que pode ser branca ou integral. Fica macio, cresce bem e não resseca.
Tem uma foto do segundo pão que fiz usando essa mistura, mas não ficou assim tão boa porque tirei com o celular.
Para esse pão, usei só a ração e farinha branca, mesmo assim ficou escurinho, bonito como pão com farinha integral.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Minha sereia...

Ontem e anteontem aproveitei o sol para levar minha filhota à piscina. Como nos divertimos! Como ela está começando a curtir posar para fotos, levei meu celular dentro do Dart Bag e bati umas fotos dela embaixo da água.


E aí? Alguem já viu uma sereia ao vivo? Eu, sim. E pude fotografar e filmar tudo!


Tenho muitas saudades do tempo que a acompanhava na natação infantil. Ela começou aos 11 meses fazendo aula mamãe e bebê comigo. Depois de uns 8 meses, foi para a aula individual. Agora, está numa turminha, com mais 3 coleguinhas, pelo menos teoricamente. É que sempre falta alguém, então a turma fica ainda menor. Pra manter a proposta pedagógica, as professoras às vezes juntam os alunos de turmas diferentes.

Acho que os benefícios das aulas são inegáveis. Não é só porque eu sou coruja, mas vejo que o desenvolvimento físico dela é excelente, sua desenvoltura na água é invejável. Sei que ela não se afoga fácil, mesmo tendo apenas 3 anos. Quer ver?
 
video
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...